31 de agosto de 2011

Li até a página 100 e .... #8

                                                 Meme do blog Eu Leio eu conto.


Livro: Jogos Vorazes
Autora: Suzanne Collins
Editora: Scholastic Press (versão em inglês)

Primeira frase da página 100:
I’m messing with my mind too much, trying to keep straight when we’re supposedly friends and when we’re not.
Do que se trata o livro?
O livro conta a história de Katniss, uma moradora do Distrito 12 na nação chamada Panem, antiga América do Norte. O poder é concentrado na Capital, e para mostrar esse poderio todo, é criado os Jogos Vorazes. Uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte.

O que está achando até agora?
Eu já consegui chorar de emoção, então podem acreditar que o livro esta me satisfazendo bastante.

O que está achando da protagonista?
Katniss é corajosa. Em ficar no lugar da sua irmã dos jogos e tudo mais, eu realmente admiro ela por ter feito isso. Agora veremos como ela agirá durante os Jogos.
Melhor quote até agora:
We’re going to be thrown into an arena to fight to the death. Exactly how am I supposed to work in a thank-you in there? (p. 32)

Vai continuar lendo?
Com certeza, positivamente SIM! Preciso saber o que acontecerá na arena e se algo irá rolar entre Katniss e Peeta.
Última frase da página:
There is nothing I can do but continue with the plan.

Já sei que muitos leram e amaram o livro! Alguma dica para a minha leitura? Algum comentário?

E as frases estão em inglês porque a minha versão é em inglês, e eu achei melhor não traduzir. Qualquer coisa, google tradutor fará o meu trabalho :)

Gabi

30 de agosto de 2011

50 hábitos literários

Olá,

Bom, eu estou fazendo isso faz um tempo. Mas é muito mais difícil do que parece então só terminei agora. Achei a ideia no blog Chá das cinco e quinze e resolvi tentar. E foi isso que deu: Meus 50 hábitos literários

1.    Eu nunca uso a orelha do livro para marcá-lo. Sempre utilizo marcadores para não estragar o livro.
2.    Não coleciono marcadores. Creio que sou uma das únicas no mundo dos blogs literários que não coleciona marcadores.
3.    Leio em qualquer hora e qualquer lugar.
4.    Sempre tenho um livro na bolsa.
5.    Adoro ir a livrarias e ficar horas lá dentro observando todos os livros.
6.    Organizo meus livros por tamanho.
7.    Gostaria de criar um clube de leitura em POA.
8.    Eu tendo a sofrer um luto pós termino de livros que eu considero perfeitos.
9.    Adoro reler livros. Eles sempre significam algo a mais na segunda vez.
10.  Adoro clássicos.
11.  Odeio quando termino um livro que faz parte de uma série e a continuação ainda não foi lançada no Brasil.
12.  Adoro os livros hardcovers, acho-os lindos demais.
13.  Acho ridículo o preço de alguns livros aqui no Brasil
14.  Não gosto de ler deitada na cama. Prefiro ler sentada.
15.  Quase sempre lavo as mãos antes de pegar o livro para ler.
16.  Não como/bebo nada enquanto estou com o livro em mãos.
17.  Odeio quando me interrompem enquanto eu estou lendo.
18.  Gosto de achar músicas que sejam compatíveis com a história que eu estou lendo.
19.  Não consigo ler ouvindo música.
20.  Eu rio/choro/falo/suspiro sozinha enquanto eu leio.
21.  Dependendo da história, eu posso ficar em choque e triste por vários dias (Um Amor para Recordar- Nicholas Sparks)
22.  Adoro me surpreender com um livro.
23.  Não gosto de ler um livro quando a letra é muito miúda, uso óculos e dificulta bastante.
24.  Não gosto quando o livro não tem nenhuma margem ou tem margem demais. Eu sei que sou chata.
25.  Eu gosto quando consigo relacionar minha vida com a história do livro.
26.  Eu tenho a mania de sofrer com a personagem, por a personagem. Se sentir raiva com ela e de ficar feliz por ela.
27.  Se o livro é muito bom, eu posso deixar de sair para ficar lendo.
28.  Às vezes não consigo dormir pensando no que irá acontecer na história.
29.  Odeio quando as pessoas contam spoilers dos livros.
30.  Eu imagino a personagem do meu jeito, independentemente das características físicas que a autora coloca. Eu crio a MINHA personagem. Com a cor de cabelo que eu quero e tal.
31.  Sou extremamente indecisa na hora de comprar livros. Vou carregando eles pela loja toda, olho, olho e olho. Leio a sinopse, folheio as páginas, admiro a capa, leio a biografia do autor e só bem depois consigo me decidir.
32.  Dentro do livro que eu leio você vai achar: Um marcador da livraria, um bloquinho de post its e um marcador de vidro muito bonito. Sempre é assim.
33.  Eu detono os marcadores das livrarias, estão sempre amassados. (Antes que me joguem pedras, são aqueles marcadores que vem junto com o livro, não os especiais com imagens de livros e etc).
34.  Gosto de ler livros em inglês por três motivos: Um é o preço. O outro é que eu não consigo esperar até lançar no Brasil e terceiro, eu gosto de ler as palavras que o autor escreveu, sem tradução.
35.  Tenho livros desde que era pequena, tenho pena de me desfazer deles.
36.  Odeio ter que responder a pergunta: Como tu consegue ler tanto? Ou perguntas derivadas.
37.  Sim, eu sonho em ter um romance tipo de livro. Fazer o que, é o meu sonho.
38.  Sou apaixonada pelo Patch da série Hush Hush
39.  Adoro ler indiretas para mim no meio do livro. Penso que a autora/autor me conhece.
40.  Meu gênero favorito é romance.
41.  Meu casal favorito é: Landon e Jamie
42.  Livros do Nicholas Sparks sempre me fazem chorar
43.  Adoro finais/cenas surpreendentes
44.  Não gosto quando um livro vira filme, e esse vira modinha e todo mundo diz que ama a história, sendo que metade nem leu nada.
45.  Não gosto de gente que julga um livro pelo seu filme.
46.  Queria poder bater um papo com os seguintes autores: Lauren Oliver, Nicholas Sparks, Becca Fitzpatrick, Scott Westerfeld e Paula Pimenta.
47.  Não gosto de receber recados de spam no skoob ou em qualquer lugar. Para fazer com que eu veja seu blog, deixei um recadinho aqui que eu vou lá.
49.  Queria ter mais suporte de leitura e escrita na escola.
50.  Eu AMO ler e provavelmente não conseguiria viver sem a leitura. É algo essencial, como respirar. É algo que me faz feliz, mesmo que eu esteja triste. Quando algo acontece e eu sinto que tudo vai desmoronar, é simples, eu pego um livro para me acalmar.
Espero que tenham gostado dos meus hábitos literários, não sou muito chata sou?
Bom, eu adoraria saber os hábitos de vocês, queridos leitores, então se quiserem responder em seus blogs, não esqueçam de deixar o link aqui para eu poder ver!

Ah, temos algum hábito em comum??

Gabi

28 de agosto de 2011

"Entre Parêntesis" #4

Olá! Em primeiro lugar, me desculpem por não atualizar o blog durante dois dias. Na sexta eu estava sem inspiração para postar e ontem eu estava na Gincana 24hrs na minha escola. Então, depois de 24hrs sem dormir, algumas horinhas de sono em casa, aqui estou eu novamente com essa coluna. Meu ritmo de leitura decaiu, mas essa semana eu coloco novamente no ritmo normal, então podem esperar várias resenhas em breve.

Hoje, as frases serão mais de filmes/séries

1) "Só porque alguém te machucou uma vez, não significa que tem que excluir totalmente de sua vida. As coisas mudam. Pessoas crescem." – pretty little liars

2) Tudo que você realmente precisa, é amor e um pouco de chocolate." – Chocolate

3) Não deixe que o medo de errar, impeça que você jogue." – A nova Cinderela

4) "Preciso falar com alguém. Alguém, não. Você!" - Um Dia (resenha)

5) "A gente precisa ter o coração partido algumas vezes. Isso é um bom sinal, ter o coração partido, quer dizer que a gente tentou alguma coisa." - Comer, Rezar, Amar

6) "A vida só pode ser compreendida olhando para trás, mas só pode ser vivida olhando para frente." (O Curioso Caso de Benjamin Button)

7) "Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados." (Lembranças)

Espero que tenham gostado das frases de hoje. O Book Blogger Hop ainda não foi postado no Murphy's Library, então eu postarei ele amanhã.

Qual é a favorita de vocês?

Gabi

25 de agosto de 2011

E os vagalumes...

Olá, novamente eu não tive tempo para pensar em algo bem legal para postar hoje. Peço as minhas desculpas, a escola está uma loucura e eu estou indo a loucura devido a isso. Espero que melhore logo e que eu possa me dedicar melhor ao blog.

Eu escrevi um texto durante a semana, mas não estou muito certa se irei postar aqui ou não. Talvez semana que vem ok? Ainda estou indecisa sobre muitas coisas. Também já juntei algumas frases para o próximo "Entre Parêntesis" então, fiquem ligados.

Eu começei a ler ontem Jogos Vorazes. Como a versão é em inglês, a minha leitura demorará um pouco mais do que o normal. Mas em breve eu resenharei o livro.

O trimestre na escola está quase no final, e eu estou muito cansada. De tudo, provas, trabalhos e principalmente de lidar com pessoas. Tem pessoas que não precisamos de esforço, amigas por exemplo. Elas te aceitam de bom ou mal humor. Mas tem gente que está sendo bem complicado lidar, e bem ainda mais tentar não me iludir. Acho que tudo acontece por um motivo, mas tem certos acontecimentos que vem acontecendo que eu não consigo achar nenhum motivo.

É aquela coisa de não saber se algo é bom ou ruim. De não saber o por que certa pessoa está agindo daquele jeito. O por que tem gente que se acha demais e gosta de estragar a vida dos outros. Eu gosto de saber o por que das coisas, principalmente quando se trata de relacionamentos entre pessoas. Há coisas inexplicáveis. Como por exemplo, por que duas pessoas que são perfeitas juntas, não ficam juntas? Por que tem gente que age de modo estranho? Por que tem gente que só percebe que tu existe quando precisa. E dai vai lá todo carinhoso como se absolutamente nada tivesse acontecido nos últimos cinco meses.

Bom, foi um post diferente, mas como eu não tive tempo para selecionar textos e não estou a vontade para postar o que eu escrevi, saiu um desabafo mesmo. Espero que não se importem.

Gabi

24 de agosto de 2011

Resenha: Um Dia - David Nicholls

Em e Dex. Dex e Em.  O livro conta a história de Dexter e Emma, eles se conhecem na noite de formatura da faculdade e falam sobre seus sonhos e expectativas. E o livro mostra durante 20 anos, sempre no dia 15 de julho, o que está acontecendo na vida deles naquele dia.
Editora: Intrínseca 
Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas - vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.
Como começar a falar sobre esse livro? Bom, vamos por partes.
Emma Morley e Dexter Mayhew são recém-formados com sonhos e expectativas para o seu futuro. Algo bem legal que o livro aborda é isso, todos temos grandes sonhos, mas nem sempre é fácil tornar eles realidade. E mostra como as amizades ganham força e perdem força conforme o tempo passa e as pessoas mudam. Às vezes, é melhor deixar a amizade de lado por um tempo porque ambos não combinam mais. E não é vergonha retoma-la novamente.
No inicio eu demorei um pouquinho para entrar com tudo na história, a maneira como o David escreve não é uma que eu estava acostumada a ler, mas rapidamente me apaixonei pelo seu modo de escrita. Não é aquela historinha de amor estilo Nicholas Sparks, onde ambos personagens são fofos e românticos. É muito real, os problemas são reais e nem sempre há uma solução.
Eu adorei o livro, honestamente. É uma linda história e conta como é difícil se achar na vida. Eu adorei a Emma, me vi várias vezes nela. E o Dexter, bom, eu realmente queria matar ele em alguns momentos. Mas são reais e engraçados.
Não vou me estender muito porque é muito fácil sair soltando spoilers sobre esse livro, então leiam e descubram todos os acontecimentos por conta própria. Mas eu preciso dizer que um deles me fez chorar demais.

23 de agosto de 2011

Livrarias Italianas

Durante a minha viagem – que milagrosamente eu consegui deixar o blog sempre atualizado – eu fiquei impressionada com uma coisa que é assunto do blog então resolvi compartilhar com vocês. As livrarias.
Nós estamos acostumados  com as livrarias grandes – Saraiva, Culturas e similares – que são todas iguais independente do lugar do Brasil que a gente vá. Todas têm aquelas paredes cheias de livros e CDs e tudo mais.
Não estou reclamando delas, é o que temos e eu adoro ir e ficar vendo todos os livros e sentindo aquele cheirinho bom das páginas novinhas. Sem elas, realmente, não teríamos muito como comprar livros.
Mas lá, eu vi várias livrarias na rua. Sim na rua, como lojinhas de roupas e restaurantes. Eu não sei se onde vocês moram tem assim, mas em POA eu nunca vi iguais a essas. São várias – várias mesmo – espalhadas pela cidade e tem aquele ar aconchegante. Tem uns lugares que em cada quadra tem uma. Que dá vontade de entrar e ficar ali por horas e horas.
Livraria em Verona

Eu entrei em uma chamada Libreria Fanucci, em Roma e eu fiquei apaixonada. Livros até o alto, bem arrumados e ajeitadinhos. E livros em inglês!

Foi nessa que eu comprei Safe Haven do Nicholas Sparks. Enfim, só para dividir com vocês isso, que eu achei muito legal.

Espero que tenham gostado!

Gabi

22 de agosto de 2011

Resenha: O Médico e o Monstro - R. L. Stevenson

Hoje eu venho com uma resenha – finalmente, finalmente, finalmente. O ritmo de resenhas decaiu bastante nessa última semana devido a escola, por isso estou feliz de trazer essa para vocês. Se tudo der certo, a resenha de Um Dia sai até o fim dessa semana, eu estou quase no fim.
As suspeitas começaram quando Mr. Utterson, um circunspecto advogado londrino, leu o testamento de seu velho amigo Henry Jekyll. Qual era a relação entre o respeitável Dr. Jekyll e o diabólico Edward Hyde? Quem matou Sir Danvers, o ilustre membro do parlamento londrino?
Livro obrigatório para a escola. Teve épocas que eu já julgava só por estar na lista de materiais, mas esse ano os livros vem me surpreendendo muito. Então, não pensava nada sobre esse livro até começar a ler.
O livro foi publicado em 1886, e conta a história do advogado Mr. Utterson, que se vê inconformado como o Dr. Jekyll deixa absolutamente tudo em seu testamento para o Mr. Hyde. Seja em caso de morte ou desaparecimento. E o Mr. Hyde parece dar calafrios em qualquer um que o veja. O que estará acontecendo?
Bom, o livro já começa com mistérios então é impossível a leitura ser chata e monótona. É um livro que se a pessoas for entrar mesmo na mente dos personagens, ela irá tirar muitas razões por quais os acontecimentos acontecem. E isso que eu digo é realmente entrar na mente dos personagens, algo que muitas vezes é bem difícil de fazer principalmente com um livro que eu não diria ser fácil de achar semelhanças com a nossa vida.
É um livro de mistério criminal, muito bem escrito e que uma vez começado a ler, é bem difícil de parar. A única coisa que me incomodou durante a leitura, foi o fato de algumas frases serem muito longas sem pontuações, e dificultou a leitura fazendo com que eu voltasse para reler vários trechos.
Já aviso que quem gosta de livros com romance, escolha outro. Romance é algo inexistente nesse livro, mas não fez falta nenhuma enquanto eu lia.
Eu recomendo bastante, é um livro diferente do que estamos acostumados normalmente. E é ótimo.

21 de agosto de 2011

Top 5: Garotas Más

A Ni do blog Fly With Ni me deu a ideia para o tema do Top 5 desse mês. Comecemos mais um Top 5. Garotas más é o que mais tem nos livros... E na vida também, mas esse não é o caso agora. Elas SEMPRE estão lá para atrapalhar tudo e os meninos muito bobinhos caem sempre nas historinhas delas.

1)    Marcie Millar – Hush Hush – Becca Fitzpatrick

Eu não faço a lista por ordem de maldade, mas a Marcie merece o primeiro lugar. Corcordam? Que raiva dessa menina gente, sério. Quem leu Crescendo sabe do que eu estou falando. Ela simplesmente acha que ELA pode ter tudo o que quiser, e o pior de tudo é que ela consegue tudo o que quer. Ela passa por cima de qualquer um para chegar ao seu objetivo. E como eu disse, meninos podem ser bem deligados e só aproveitam a deixa. Marcie Millar é uma menina má que me deixa muito louca... Espero que em Silence ela se acalme um pouco.

2) Vanessa – Fazendo Meu Filme – Paula Pimenta

Outra típica menina ridícula que acha que pode ter tudo o que quer em um piscar de olhos. Esse é o mesmo caso anterior, elas vão lá, conseguem o que querem e depois de exibem todas com o “prêmio”. Sério gente, e os meninos como sempre vão atrás e caem nas artimanhas malignas delas. Espero que ela não apronte nada em FMF4.

3) Shay – Feios – Scott Westerfeld

Acho que essa nem é uma menina má, e sim uma menina chata. Ela acha que sua opinião é a que importa e ponto final. No inicio eu até gostava dela, mas depois quando ela começa a trair a Tally e fazer certas coisas que não foram do meu agrado, minha simpatia por ela terminou. Ela é má porque ela realmente não está nem ai para os sentimentos da amiga Tally, ela só quer saber dos seus interesses e pronto. Deixa a Tally sozinha e sofrendo.

4) Lana - Diário da Princesa - Meg Cabot

Hum, por onde começar com essa? Infernizou a vida da Mia durante praticamente toda a série. Ela é loira, lider de torcida, metida e a lista é infinita. Ela sempre consegue o que quer e sempre quer passar por cima dos outros - Marcie Millar feelings. Eu sempre achei que ela sentisse ciúmes da Mia, e com toda a fama de princesa e tudo mais. Acho que no fundo, no fundo, ela sentia. E só passem o mouse por cima da parte preta se leram o último livro da série ainda, estou avisando, tem spoilers. Mas ela se redime um pouco no final ficando amiga da Mia e apoiando ela com o Michael e tudo mais, e apesar de continuar chatinha, ela mostra que as pessoas mudam.


5) A - Pretty Little Liars - Sara Shepard

Eu tinha esquecido dela/dele quando alguém - desculpe, não anotei o nome - me avisei nos comentários. Mesmo não sabendo se é uma garota/garoto. Acho que ela/ele entra na lista justamente por não sabermos. Ela é a pior daqui, na minha opinião. Manipuladora, adora uma revanche e adora mecher com as liars. Com suas mensagens assustadoras - até eu me arrepio as vezes - ela consegue deixar as meninas loucas, como alguém sabe tanto sobre elas? Enfim, ela é uma menina má com certeza.


Espero que tenham gostado da lista, esqueci de alguém? Caso sua resposta seje sim, por favor me avise! E estou aberta a sugestões para o Top 5 do mês que vem.

Gabi


Obs. Se vocês quiserem receber os novos posts daqui por e-mail, é só colocar o seu e-mail no espaço intitulado Subscribe, na lateral do blog.

20 de agosto de 2011

Book Blogger Hop #17

Meme do blog Murphy's Library.

E a pergunta dessa semana é....

Qual o livro mais longo que você já leu?

Perguntas curtas como essa não me dão o direito de argumentar e escrever um parágrafo grande para vocês. Para a alegria ou tristeza de todos, vou ser bem direta.

As Crônicas de Nárnia volume completo - C.S. Lewis. Li dois anos atrás, portanto, para uma resenha só se eu for reler todo ele novamente. O que não acontecerá tão cedo.

Qual foi o livro mais longo que vocês já leram?

Gabi


19 de agosto de 2011

Lançamento: As irmãs Sloane + Extra

Olá, hoje trago um lançamento da Galera Record que eu achei bem interessante. E eu espero que gostem.

As irmãs Sloane - Anna Carey - Galera Record

Ano: 2011
Páginas: 224
ISBN: 978-85-01-08631-0
Preço: 24,90


Sinopse: Quando o pai americano de Cate e Andie e a mãe inglesa de Stella e Lola se conhecem, e se apaixonam, as quatro adolescentes precisam se acostumar à ideia de viverem felizes para sempre. Afinal, agora elas são irmãs e vivem no mais glamouroso bairro de Nova York. Essa história teria tudo para ser um conto de fadas, mas... as quatro não se suportam. As meninas terão de aprender a dividir – desde os pais e casa, até as amigas, os grupinhos e os garotos.

Acharam interessante? Eu achei bem legal a história e fiquei com bastante curiosidade para ler o livro. E a capa é maravilhosa também.

E o extra do post é.... A capa de Minha vida fora de série da incrível e maravilhosa Paula Pimenta.

Minha vida fora de série - Paula Pimenta

A Paula fez bastante mistério e suspense sobre quem seria protagonista da história. Disse apenas que ela uma amiga da Fani. E essa personagem é...
Sinopse:
Mudar de cidade sempre é difícil, mas fazer isso na adolescência é algo que deveria ser proibido. Como começar de novo em um lugar onde todos já se conhecem, onde os grupos já estão formados, onde ninguém sabe quem você é? A princípio, Priscila não gosta da ideia, mas aos poucos percebe que pode usar isso a seu favor, tendo a chance de ser alguém diferente. Mas será que o papel escolhido é aquele que ela realmente quer representar? Aos poucos, Priscila percebe que o que importa não é o lugar e sim as pessoas que vivem nele. E que, além da nova cidade, há algo mais importante a se conhecer: ela mesma. Quem gosta da coleção “Fazendo meu filme” não pode perder o livro de estreia dessa nova série de Paula Pimenta. Situado no mesmo universo ficcional, temos a oportunidade de acompanhar alguns dos nossos já adorados personagens, três anos antes da história de "Fazendo meu filme” começar. Não perca a 1ª temporada da vida fora de série de Priscila. Prepare a pipoca e o lugar no sofá... a diversão já vai começar!


Quem já leu o livro, sabe que a Priscila é uma grande personagem na história. Ela tem grande importância e sempre aparece em momentos cruciais com noticias que mudam o sentindo do livro. Então, fiquei bem animada ao ver que ela é a personagem e que a história se passa 3 anos antes de FMF começar. Mal posso esperar para ler!

Gostaram?

Gabi

18 de agosto de 2011

E os vagalumes... #17

Olá,

A minha semana está sendo bem tumultuada, então não tive muito tempo para pensar em um texto para hoje. Para não deixar vocês sem nada, vou postar um textinho meu.

É bem antigo, escrevi ele no meio do ano passado.


Claustrofobia arejada
Se alguém fica claustrofóbico dentro de um elevador, é compreensível, afinal é um espaço pequeno sem grandes saídas de ar. Mas o que fazer quando alguém tem claustrofobia em um lugar arejado? Parece impossível, é impossível. Mas se pensarmos que todos os espaços ao redor dessa pessoa estejam cheios com seus pensamentos, que são muitos para permanecer apenas dentro do cérebro.  E se todos esses pensamentos estivessem disputando um lugar mais perto dela, para serem pensamentos com mais regularidade, eles estariam fazendo uma pressão enorme ao seu redor. Então, se colocarmos os fatos desse jeito, é possível alguém ficar claustrofóbico em um lugar arejado, porque seus pensamentos ocupam cada espaço ali.
Comentário:
Bom, eu não me sinto assim mais. Mas na época que eu escrevi esse texto eu me sentia. Eu estava constantemente me sentindo mal comigo mesma, porque metade da minha mente dizia uma coisa e a outra outra. E eu ficava tentando descobrir o que fazer. Também tinha vezes que eu queria falar algo para alguém, mas eu travava. E esses pensamentos ficavam me perturbando constamente.
Foi curtinho gente, me desculpem. Mas eu realmente não tive tempo de preparar algo melhor. O que acharam?
Gabi

17 de agosto de 2011

"Entre Parêntesis" #3

Fazia um tempinho que não postava essa coluna, e como minhas resenhas estão demorando para sair - podem culpar as provas/trabalhos/recuperações paralelas/ tudas as alternativas anteriores. Prometo que segunda eu venho com a resenha de um livro que vou ler para a escola, O médico e o monstro de R.L. Stevenson, alguém ai já leu? E a resenha de Um Dia do David Nicholls sairá em breve.

Bom, por enquanto, fiquemos com as novidades e colunas legais :)

As frases que eu selecionei para esse post foram:




1) ''Não sinto raiva, não sinto nada. Sinto saudade, de vez em quando. Quando penso que podia ter sido diferente .''


2) Deus criou a amizade porque sabia que, quando o amor machucasse, ela seria a cura. (Lilo e Stitch)

3) Aonde eu irei encontrar um alguém, que me queira, me adore, alguém que me faça feliz? (Bela Adormecida)

4) Eles dizem que se você ama alguém, deixe-o ir. (Phineas e Ferb)

5) É nas dificuldades que você percebe quem vai estar com você em todos os momentos. (Dumbo)

6) Eu sei o quanto dói quando seu coração fica quebrado, mas o tempo vai curá-lo. (Os Feiticeiros de Waverly Place)

Qual é a favorita de vocês? Por quê?

Daqui um tempo eu volto com mais um post assim,

Gabi

16 de agosto de 2011

Novidades #4


Oi

Dando uma olhadinha no site da Barnes & Noble – sim, eu gosto de sofrer – eu aproveitei para ver a lista do New York Times, tem várias categorias e eu fui selecionando uns para colocar na minha wish-list. Aqui estão uns livros que eu espero que seja lançado no Brasil o mais rápido possível.
Sisterhood Everlasting  - Ann Brashares
Da autora #1 do New York Times, Ann Brashares, vem uma acolhida para as personagens cuja amizade se tornou ícone para uma geração. Agora Tibby, Lena, Carmen e Bridget cresceram, começaram suas próprias vidas. E através dos jeans, que elas compartilharam por tanto tempo, a irmandade é para sempre.
Além de ter trabalhos e homens que elas amam, todas sabem que há algo faltando: a proximidade que uma vez as sustentou. Carmen é uma atriz de sucesso em Nova Iorque, noiva prestes a se casar, mas sente falta das suas amigas. Lena encontra consolo em sua arte, lecionando em Rhode Island, mas ainda pensa em Kostos e o caminho que ela não seguiu. Bridget vive com seu namorado, Eric, em São Francisco, e mesmo que uma parte sua quer se estabelecer, uma parte maior não parece esquecer a sua inquietação.
E Tibby alcança a maior distância, enviando as outras passagens de avião para uma reunião que todas mal podem esperar. E ainda, mudará suas vidas para sempre, mas em meios que nenhuma delas possa imaginar.
Eu preciso ter esse livro em mãos. É outro motivo que eu quero ler toda a coleção novamente imediatamente. Parece ser perfeito demais.
Thirteen reasons why - Jay Asher

Já foi lançado no Brasil, mas eu não gostei nem um pouco da capa, então peguei a capa linda maravilhosa americana.

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.


Two-way street - Lauren Barnholdt

Estes são Jordan e Courtney, totalmente apaixonados. Claro, eles eram um casal improvável na escola. Mas eles se entenderam e, funcionou. Eles estão indo para a mesma faculdade e dirigindo um cross-coutnry em conjunto para orientação.
Em seguida, Jordam deixa Courtney por uma garota que ele conheceu na Intenet.
É tarde demais para mudar de planos, de modo que a viagem ainda está de pé. Courtney está de coração partido, mas acredita conseguir aguentar por alguns dias. La, la, la – essa é Courteny fingindo não se importar.
Acontece que, ele tem um ou dois segredos que não contou a Courtney. E tem tudo a ver com o motivo que eles terminaram. Porque eles não podem voltar a ficar juntos e como esse casal está destinado a ficar junto.
E por último, mas não menos importante, esse livro estava na lista e hoje quando eu liguei o computador vi no Garota It que vai ser lançado aqui no Brasil. Eba, eba, eba!!
L.A. Candy - Lauren Conrad
Um produtor de TV contrata Jane e Scarlett, melhores amigas recém-saídas da escola, para gravar um reality show sobre quatro jovens tentando ganhar a vida em Los Angeles. Scarlett estranha tanta atenção, mas Jane adora ter um bom apartamento e entradas VIP para boates. Até que um desentendimento entre as meninas pode ameaçar tanto sua amizade quanto o futuro do programa.
Lauren Conrad é uma das mais importantes it girls da atualidade, tendo estrelado os reality shows Laguna Beach e The Hills. O livro chegou ao primeiro lugar da lista de best sellers do NYTimes.


Por hoje é isso, só avisando que o nível de resenhas vai cair um poquinho devido a minha falta de tempo para ler. Mas acho que semana que vem eu trago duas!
Gostaram dos livros? Qual vocês tem mais vontade de ler?
Gabi

15 de agosto de 2011

Estive pensando... #2

Eu realmente não imaginava fazer outra coluna com essa tag tão rápido, mas eu li algo e realmente achei que eu precisava escrever sobre isso.

Eu acordo no domingo de manhã, abro o twitter e vejo as mensagens da chateada Paula Pimenta. E depois de ler, eu realmente, fico triste com tudo aquilo. Se vocês não sabem do que eu estou falando, a história é a seguinte. Alguma fã da Paula Pimenta, começou a digitalizar os livros da série Fazendo meu Filme, e disponibilizando eles em uma comunidade do Orkut.  
E então vemos um texto muito pessoal e sentimental da Paula dizendo o porquê isso incomoda tanto ela. Ela precisa que a editora confie que ela é capaz de trazer lucros com a venda dos seus livros, e isso não será possível se todos começarem a baixar eles na internet. Paula também diz que escrever não é fácil. E como eu sei disso, para encontrar aquela palavra que encaixa melhor na frase é uma novela, para fazer com que se torne mágico e perfeito como os livros dela, então, nem imagino como deve ser. O que é importante aqui, é que ela não passou dias e dias e dias escrevendo a história, trabalhando nela para ver tudo sendo disponibilizado na internet.
Coincidentemente, no sábado a noite eu comentava com o meu pai isso. Ambos tínhamos lido uma crônica que dizia que os livros no papel estavam com os dias contados. E isso me entristece muito. Afinal, como eu teria uma coleção de livros, sem os livros? Acho que foi na sétima série, lemos um texto dizendo que a única coisa que sobraria dos livros seria a lombada, para enfeitar as estantes.
Eu, na hora achei aquilo totalmente nada a ver. Quem compraria apenas a lombada de um livro? Bom, eis que a Gabriele aqui entra em uma loja – não me lembro nem onde – e vejo livros lindos do Shakespeare. Lindos mesmo, e quando eu vou tentar abrir, ops, não abrem. Era apenas a lombada do livro. Será que estamos realmente perdendo os livros? Estamos perdendo para a tecnologia?
Outro ponto, comprar e-books é uma coisa, você compra. Mas baixar da internet é outra, o autor que passou meses trabalhando no livro, e a editora, não ganha absolutamente nada. É o mesmo com os CDs, creio que sou a única que ainda os compra certo? Eu não acho correto baixar tudo da internet, o cantor/cantora que trabalhou naquilo por um longo período de tempo, não ganhará nada.
É uma polêmica, pela qual eu poderia ficar um tempão aqui comentando. Eu fiquei muito triste pela Paula, porque como ela mesma disse, escritoras como Meg Cabot e Stephenie Mayer, já são sucessos garantidos no mundo todo. Mas e os autores brasileiros? Aqueles que precisam dar muito duro para conseguir uma chance em uma editora, e são aqueles que são julgados pelos leitores, porque são autores brasileiros.
Eu vou ficando por aqui, mas quero saber o que vocês pensam sobre tudo isso ok? O que vocês acham, os livros realmente tem seus dias contados?
Gabi
Obs. Se vocês quiserem ler o Desabafo da Paula Pimenta, cliquem aqui.

14 de agosto de 2011

Estive pensando...

Oi,
Não sei se essa virará uma coluna aqui do blog, mas caso isso aconteça e eu comece a postar com essa tag com frequência, é porque eu ando pensando demais. ´
Eu pensei em escrever esse post durante a minha viagem nas férias de inverno para Itália/Alemanha. Mas quando eu voltei foi – está sendo – uma loucura de provas e trabalhos e derivados e eu só fui me lembrar de escrever novamente agora. Sem querer fazer mais suspense desnecessário, o post de hoje será mais uma reflexão – prometo que não será muito comprida – sobre uma semelhança que eu percebi quando volto de uma viagem e quando eu termino um livro.
Ok, nada a ver isso certo? Talvez sim, talvez não. Quando eu termino de ler um livro que eu gosto muito, ou que me fez pensar, eu me sinto realizada e muito feliz. Muito feliz mesmo, eu posso estar triste por qualquer bobagem na minha vida, mas se eu leio um livro ótimo, isso me deixará automaticamente feliz. E é assim com as viagens, quando eu volto, me sinto feliz, e durante eu também me sinto feliz. É como se algo se realizasse.
Esses ambos finais, também me fazem pensar. E todo mundo aqui sabe que eu adoro pensar. Quando eu leio um livro, eu sempre acho uma similaridade com a minha vida. Mesmo que seja totalmente sobrenatural, sempre tem uma pitadinha de verdade. E quando eu viajo, eu também penso. Eu penso o que realmente certas coisas significam, eu reavalio minhas prioridades.
O que são, realmente, as prioridades na vida? Sério mesmo gente, quais são? Nós nos preocupamos tanto com coisas fúteis, quando a maravilha da vida está nos pequenos atos, nas pequenas coisas. Naquelas coisas que nós, justamente, não damos importância.
E também, quando eu termino um livro muito bom, tenho minha fase de tristeza, justamente porque terminou. Usemos por exemplo nesse caso, Sussurro da Becca Fitzpatrick. Eu juro que fiquei uns três dias de luto porque o livro terminou. E eu fico assim quando uma viagem termina, quando eu volto para a minha incrível realidade. Eu fico triste porque tudo aquilo acabou, mas também feliz porque aconteceu.
Não sei se estão conseguindo captar alguma essência do meu pensamento, ou se eu estou falando para o nada aqui... Bom, de qualquer jeito, essa semelhança foi muito tocante para mim. Porque ambos os modos, lendo ou viajando. Eu de uma forma ou outra eu viajo. A diferença é que quando eu leio eu não preciso passar 12 horas dentro de um avião e em filas de aeroportos.
Como prometido, eu não me estendi muito e vou ficando por aqui. Eu disse um tempo atrás que tinha um post sobre as livrarias italianas e muitos disseram que queriam ler nos comentários, eu não me esqueci de postar ok? Mas eu escrevi no computador da minha mãe e eu sempre me esqueço de pegar lá, prometo que ainda semana que vem eu coloco aqui.
E vocês? O que sentem quando terminam de ler um livro muito bom?
Gabi