5 de outubro de 2011

Resenha: A hora mais sombria - Meg Cabot

Mais um livro para a Maratona do blog Fly With Ni. Deu-me uma loucura no final de semana passado e eu simplesmente não larguei os livros. Foi um atrás do outro e eu não parei para nada quase. Enfim, tinha ficado meio triste que o Jesse aparece pouco em Reunião e li esse com vontade de mais Jesse. Eu tenho sérios problemas...
Férias de verão e Suzannah é obrigada a arrumar um emprego. Então ela vira babá no hotel Peeble Beach Hotel and Golf Resort. Lá, ele vira babá de um menino de oito anos, que para sua felicidade, é um mediador. Seu padrasto, Andy, resolve cavar um buraco no quintal para construir uma piscina quente, tudo estava indo muito bem até ele achar cartas escritas pela Maria de Silva, ex-namorada de Jesse, o fantasma de 150 anos que mora em seu quarto. E Maria não gosta muito dessa descoberta, Suzannah está prestes a descobrir mais sobre o passado misterioso de Jesse, mas não será tão fácil quanto ela pensa.

De fato, temos mais Jesse nesse livro. E temos a presença da sua ex-namorada Maria. E essa mulher, me deixou com muita raiva. Enfim, temos vários personagens novos. Como Jack, mediador de oito anos e Paul, seu irmão mais velho.
Como um livro da Meg, temos altas tiradas, sarcasmo e ironias. Dignas de risadas. Temos também Jesse com todo seu charme irresistível e tudo mais... O que é a última cena gente? Eu fiquei sem fôlego.
Mas a minha cena favorita ainda é o capitulo seis inteiro. Quanto Suzannah está assustada devido à visita de Maria na noite anterior, e conta tudo ao Jesse que a consola e que, bom, leiam a cena. Não vou ficar dando spoilers. Começa na página 93.
Não tive nenhuma frustração grande com esse livro, só acho que os pais dela deviam suspeitar mais que Suze estava fazendo alguma coisa quando conseguiu aquele hematoma, só isso mesmo.
“Não sei o que as garotas veem neles. Sério. Parecem animais. Não daqueles fofinhos.” (p. 14)
“-Suzannah – disse ele quando fechei a porta de novo -, por que está dormindo no quarto de David armada com uma picareta?” (p. 93)
Nombre de Dios, Suzannah – murmurou Jesse – Maria não é minha namorada.” (p. 236)
Enfim, devido ao final desse livro, é impossível não querer começar o quinto. É simplesmente, impossível. Recomendo, mais uma vez, a série, vale muito a pena.

5 comentários:

  1. haha, adorei os quotes. Toda vez que vejo suas resenhas da série morro de vontade de largar tudo e voltar a ler. Saudades do Jesse ;~

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi, que quotes lindos, mostra bem o lado irônico da tia Meg!!!
    Que capas são essas que você posta? Nunca vi elas, li toda coleção nas capas antigas :O

    Beijos
    Adriana - Mundo da Leitura

    ResponderExcluir
  3. Julia: Eu também estou com saudades do Jesse... Ele é muito perfeito :)

    Adriana: A ironia dela é a melhor de todas!! As capas são as novas, não me lembro quando lançaram, eu tenho todas elas novas, menos o dois... triste triste triste. Elas são MUITO lindas. A minha favorita é do quinto!

    Gabi

    ResponderExcluir
  4. Oi, amei toda a série A mediadora e posso dizer que é umas das minhas preferidas. Fora que as capas 'novas' são bem mais lindas (já deixei de comprar um dos livros pois não tinha com a capa nova para poder comprar depois). E como você disse, ao ler um livro da série é impossível não ficar querendo ler a continuação. Assim como você, também me apaixonei pelo Jesse rs

    Érica (CharmeGirl)

    ResponderExcluir
  5. Heey Gabi!

    Adorei a resenha, eu to adorando poder ler a série, e poder me apaixonar pelo Jesse também HAHA'

    Bj;*
    Naty - Just Books !

    ResponderExcluir