28 de janeiro de 2014

Resenha: A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak

Eu li “A Menina que Roubava Livros” pela primeira vez em 2009. Posso dizer que uma das minhas melhores decisões foi reler o livro. Por quê? Várias partes da história eu já havia esquecido e eu vi o livro com outros olhos.
Olhos que já estudaram muito sobre a Segunda Guerra Mundial e puderam captar as referências escondidas do autor. Olhos que já leram muito sobre esse período e que nunca vão se acostumar. Olhos que viram um livro maravilhoso da maneira como merece ser visto.
“A Menina que Roubava Livros” é narrado pela morte. Com certeza, a melhor narradora que já me contou uma história. A morte tem um coração e a morte partiu o meu coração com os seus sentimentos.
A personagem principal se chama Liesel Meminger. Ela está vivendo nos arredores de Munique com seus pais adotivos, Hans e Rosa Hubberman. Não é fácil para ela se separar de sua mãe e perder seu irmão, mas Hans acaba ensinando Liesel a ler, ela se torna amiga de Rudy Steiner e ela começa a se acostumar com sua nova vida.
A amizade de Liesel e Rudy começa por meio de implicâncias de criança e vai se desenvolvendo com o tempo tornando-se algo muito significativo para a história, para os personagens e para o leitor.
Liesel é uma personagem extremamente cativante e o desenvolvimento da maturidade dela conforme sua idade vai aumentando é muito bem apresentado ao leitor. Os outros moradores da cidade também acabam se tornando personagens muito especiais, cada um com suas próprias características e seus diferentes jeitos de lidar com a guerra e com as perdas.
É um dos melhores livros sobre esse período que eu já li. Markus Zusak não é sempre direto na sua narrativa, a escolha de palavras e a maneira como elas são organizadas permite que ele apresente os acontecimentos cruéis e desumanos dessa época de uma maneira poética.
A narrativa não é sempre linear e se eu precisasse descrever em uma palavra, diria que é única. É cruel, triste, maravilhosa e é simplesmente um dos melhores livros que eu já li.
Eu poderia comentar diversos outros pontos pelos quais esse livro é incrível, mas as minhas palavras não são suficientes para passar o que eu senti durante a leitura. Leiam, vocês não vão se arrepender. 

6 comentários:

  1. Tenho que confessar que o começo do livro eu achei muito chato, porém depois a narrativa foi começando a ficar melhor e eu consegui me adaptar ao livro. Chorei bastante no final e fiquei apaixonada por ele. Em breve irei reler pra ver se entendo mais um pouco do livro. O filme é sensacional, eu amei.
    http://exceptionss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. OI Gabi*
    Eu tbm terminei de reler este livro semana passada e postei ontem a resenha.
    Me emocionei de novo e tirei outras lições. Muito bom.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi,
    Reli A menina que roubava livros esse mês e concordo com você... que livro incrível. Já era meu livro predileto e relê-lo só reafirmou esse fato!
    Agora pude absorver o livro de forma diferente, o que foi ainda mais incrível!
    Não consigo nem expressar a quantidade de coisas que sinto com essa leitura rs
    Adorei sua resenha <3 (principalmente porque concordo com ela em 100% hehe)
    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. "A morte tem um coração e a morte partiu o meu coração com os seus sentimentos." Que lindo, Gabi.
    Eu não sei como esse livro ainda está encostado na minha estante a tanto tempo, sem eu ainda tê-lo lido. Já ouvi de outras pessoas também confiáveis tudo isso que você disse, e sinceramente preciso ler esse livro o quanto antes, o quanto antes. É um tema que gosto, feito de uma forma original que gosto; realmente não sei o que me impede. Vou lê-lo logo.
    Beijão! Valeu pela dica. ^^

    Achou o Quê?:
    http://achouoque.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Li esse livro ano passao, no final dele e me impressionei o quanto a leitura foi boa e agradável, mesmo com um tema tão triste e cruel que ele aborda. Isso por que abandonei o livro quando o peguei pela primeira vez para ler e terminei comprando depois de ver tantas pessoas falando bem.
    O livro é realmente cruel e tocante ao mesmo tempo. E claro, emocionante.
    Sua resenha está mais do que linda <3

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Gabi, nem preciso dizer que já fui conquistada. Mas ainda é estranho aos meus olhos pensar que uma história tão densa e de narrativa tão sensível foi escrita pelo mesmo autor de "A Garota Que Eu Quero". Nada contra o livro, mas eles parecem ser BEM diferentes, aí fica aquela imagem do autor X na minha cabeça, sabe?

    ResponderExcluir