14 de abril de 2014

Resenha: Vozes Roubadas - Organizado por por Zlata Filipovic e Melanie Challenger

“Vozes Roubadas” é um compilado de quatorze diários de guerra escritos por crianças e jovens ao redor do mundo. Abrange desde a Primeira Guerra Mundial até a Guerra no Iraque, proporcionando o leitor uma visão de quem passou por situações tão distantes da nossa realidade.
Esse não é o primeiro livro sobre guerras que eu leio e com certeza não será o último. É um assunto que por mais cruel e difícil de ler que seja, chama muito a minha atenção. Vozes Roubadas é um livro cruel do inicio ao fim. Não existem momentos mais leves, momentos que permitam ao leitor um respiro de alívio.
Esses são apenas quatorze jovens, dos milhares que tiveram suas vidas retiradas ou prejudicadas devido as guerras. Relatos sobre esses períodos sempre os tornam mais humanizados na minha mente. É tão fácil ler os grandes números de mortos nos livros de história, mas no momento que uma das unidades ganha nome, idade, endereço e personalidade, tudo se torna extremamente mais difícil.
Por meio dos diários, podemos ver como esses jovens tiveram suas infâncias arruinadas. Como eles foram obrigados a lidar com situações tão desumanas tão cedo na vida, perdendo a inocência infantil. 
Em todos eles (diários) reconheço os momentos de desespero, de confusão, injustiça e dor; a consciência da perda da infância, da juventude e da inocência sobre a qual eu mesma escrevi, pensei ou senti. Também reconheço as instancias menos esperados dos eventos mais simples de cada dia, bem como a continuidade da vida e do processo de crescimento, da esperança, do desejo pela natureza, pela música, pelo humor, pelos planos, das ambições e da jovialidade – apesar da existência da guerra, essa coisa terrível e negra feita para “engolir” a vida.  – Zlata Filipovic – Bosnia-Herzegovina
Não é uma leitura fácil de fazer, eu precisei fazer várias pausas entre um diário e outro para poder me recompor e seguir em frente. É uma leitura pesada e densa. Apesar de se encontrarem em situações extremas, são adolescentes como todos os outros, mas que acabam vendo a vida com olhos diferentes, acabam valorizando momentos diferentes. Momentos como poder ter alguns minutos fora de casa,  ter algo para comer, ter um pouco de água e de acordar sem ouvir bombas caindo ao lado da sua janela.
Sinto muito se aos seus olhos eu pareço fria, diário, mas é o que acontece depois de se ver tantos cadáveres e tanto derramamento de sangue – Shiran Zelikovich – Israel
Vozes Roubadas mexeu comigo. É uma sensação de inconformidade e desconforto durante e depois da leitura. São relatos incríveis e cruéis sobre momentos importantes da história mundial. Recomendo muito a leitura, o livro virou um dos meus favoritos.

7 comentários:

  1. Quantas páginas tem o livro, Gabi?

    ResponderExcluir
  2. Oie!
    Mais um livro diferente que eu conheço aqui, adorei a dica.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  3. Nossa, eu não conseguiria fazer uma leitura tão pesada... Eu sou um pouco medroso, sabe? Não gosto de ler coisas tristes justamente para eu não ficar triste. São leituras edificantes, claro, além de que nos testam e nos fazem ficar mais fortes, mas eu simplesmente não consigo. Estou enrolando faz anos para ler O Diário de Anne Frank justamente por isso. Mas essa leitura me deixou com curiosidade. Relatos interessantes devem existir. Hm... Talvez eu compre em breve. ^^
    Beijão!


    Achou O Quê?
    http://achouoque.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabi,
    Também gosto bastante de ler sobre as guerras de forma geral, ainda mais relatos dessa forma.
    Vi seus tweets sobre o livro e sua resenha me deixou bem mexida já, rs.
    Espero poder ler a obra em breve, pois apesar de densa e complicada, parece incrível.

    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Gabi

    Estou com esse livro aqui pra ler. No entanto, não o pegarei pra ler agora porque recentemente li "O Diário de Helga" que também é o relato de uma criança/adolescente durante um período de Guerra (no caso a II Guerra). Darei um tempo até ler algo parecido. Também gosto bastante de livros com essa temática. Acho que o interessante nesse livro é ter contato com o relato de várias crianças/adolescente e em períodos diferentes. Daqui um tempo o lerei, com certeza.

    Beijos,
    Amanda.
    Lendo & Comentando
    :)

    ResponderExcluir